Sobre a Eternidade em nós.



Descrevendo a teoria da visão George Berkeley.

Não há nada que seja bom que não tenha uma causa que seja boa, logo, o homem só conhece o bom, porque provou dele um dia. Eternidade em nós.
A linguagem também é outro grande mistério, o ato de se comunicar é inerente ao homem, porém é aprendizado, a linguagem remete a eternidade.

A relação do homem e a música sempre fora religiosa, musica/dança é linguagem primaria com tudo. Musica rompe a barreira da eternidade.
George Berkeley em sua teoria da visão genialmente diz que sem a mente, nada existe no universo. Nossa mente projeta tudo que é palpável.

Só existe um computador, uma rede social ou até mesmo a escrita, porque existiu uma mente por trás, e nossa mente também dá forma a eles, assimilando tudo.
Diante disso podemos conjecturar que só temos aquilo que nossa mente projeta, ora se eu nunca vi um violão é impossível descrever um.

Com isso surgem algumas questões, como nascemos conhecendo a dor, o amor, o medo, dançando com musica? De onde veio à noção de eternidade?
Como um bebê em contato com uma música pela primeira vez se acalma? Como instintivamente a mãe canta para seu filho se acalmar?

A resposta de todas essas questões é atemporal, se tudo é fonte de uma mente, essa mente é Deus, concluiu George Berkeley.

A noção de eternidade em nós veio quando o Criador soprou em nós, o folego de vida. Gên. 2:7 há um pedaço dele em nós. Temos a eternidade.

" Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim. Eclesiastes3: 11 “

@georgehuxcley

O eu pessimista.


Schopenhauer é considerado o maior pessimista que existiu, mas estou involuntariamente quase ganhando dele. Sempre fui bastante estudioso, mas sempre tive dificuldade em sala de aula, o que para todos era falta de compromisso, de interesse, na verdade descobri que talvez seja TDA, (Transtorno de déficit de atenção) ou algo parecido, em suma, tenho uma grande dificuldade de concentração, às vezes para me concentrar em uma leitura, eu ouço música, só assim consigo prestar toda atenção no texto, pois se não acabo lendo e pensando em mil coisas ao mesmo tempo.

Pensei que mudaria na universidade, afinal o modelo de aula é diferente, mas os modelos monótonos e metódicos de alguns professores me causa o desinteresse em coisas que gosto muito, mas não é isso ainda  o motivo do meu pessimismo.

Eu perdi a fé, perdi a fé, é esse o meu problema, comecei a fazer teologia, para tentar conhecer o Deus que criou o homem, mas encontrei pessoas que não estavam na mesma busca, me decepcionei com a teologia em menos de seis meses, entendi então que o  certo era estudar o homem, parti então para as ciências sociais, e agora em menos de um bimestre já estou totalmente entediado com o curso. Mas vou ser sincero, o problema não são os cursos, tanto teologia quanto ciências sociais são ótimos cursos, o problema sou eu, pois todos que estão nesses cursos estão para buscar embasamentos, e argumentos para aquilo que já fazem exemplo, na teologia eu estava querendo conhecer Deus, e os outros eram religiosos querendo ser pastores, agora em Ciências sociais, são religiosos querendo ser políticos, e ambos acham que podem mudar o mundo, que pena, eu não acredito na humanidade, não acredito que possamos ser felizes, não acredito que o mundo tem jeito, sou um pessimista, de um lado socialistas e marxistas que creem que a mudança do sistema é a salvação, do outro cristãos de todas as esferas que creem que o cristianismo é a solução, e eu no meio de um fogo cruzado, querendo apenas entender como tudo isso veio a acontecer.

Estou pensando seriamente em mudar para física, tenho me apaixonado pela ideia de conhecer o universo, através da astrofísica, cosmologia, e tudo que gira em torno dos mistérios do universo, mas estou com medo, acho que vou encontrar religiosos lá também, esse pessimismo anda me matando, tudo que eu queria era apenas conhecer, mas os homens ao meu redor querem dar sentidos para tudo, felizes seriamos se assumíssemos que nada tem sentido, como bem disse SchopenhauerQuanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência. E A felicidade não é se não o momento fugaz da ausência de infelicidade. Vamos ver até quando eu suporto.

@georgehuxcley

É possível ler a mente de Deus?

É interessante notar, como o orgulho e o fundamentalismo pode afundar qualquer pessoa, talvez a mente mais brilhante que existiu no nosso mundo, Albert Einstein na primeira metade da sua vida, mudou o rumo da história da ciência, com suas pesquisas e equações, acerca do tempo, espaço e universo. Mas a segunda Metade de sua vida, ele "perdeu" tentando rebater a física quântica, e ele não aceitava, e agora aqueles que o chamavam de Gênio, chamavam ele de caduco e ultrapassado, ele passou o resto de sua vida relutando a uma nova proposta que era evidente, mas não era agradável a ele, em certo momento ele gritou, - Deus não joga Dados. e de um dos seus "desafetos" Niels Bohr ele ouviu, - Não queira dizer a Deus, o que fazer com seus dados. Mais tarde Stephen Hawking em resposta aos dois, disse: - "não somente Deus definitivamente joga dados, mas Ele algumas vezes nos confunde jogando-os onde eles não podem ser vistos". 

Quando jovem Einstein desejava conhecer a mente de Deus, creio que na sua velhice ele perdeu esse foco, e queria que Deus le-se o universo a partir do que ele Einstein pensava. E esse perigo não é só da mente mais privilegiada que já existiu, eu e você podemos cair no mesmo erro, de querer que Deus pense como nós, que se encaixe nos nossos pré-conceitos e vontades, nas nossas religiões, como Rubem Alves disse:


 " Deus é como um pássaro encantado que nunca se vê. Só

se ouve o seu canto... Deus é uma suspeita do nosso coração de que o
universo tem um coração que pulsa como o nosso.
Suspeita... Nenhuma certeza... nenhuma certeza. Fujam dos que têm certezas. Olhem bem: eles trazem gaiolas nas suas mãos. Os pássaros que têm presos nas suas gaiolas são pássaros empalhados. Ídolos."


@georgehuxcley

Religião é o Ópio do povo...


- disse o pastor, de direita.

A algum tempo venho notando uma mudança nos parâmetros religiosos no meio cristão, é uma pseudo negativa de religiosidade, se você pergunta a um evangélico por exemplo se ele é religioso ele vai negar, ele provavelmente irá dizer que é apenas cristão ou de Jesus, mas seus atos e sua postura de vida são extremamente religiosas, praticam seus ritos, e sempre cultuam.

Estes dizem em voz alta que não gostam de teologia, que são movidos apenas pelo “espírito” ouvir isto de um fiel que não tem muito conhecimento da sua fé, é totalmente aceitável, e compreensível, agora tenho visto pastores bocejando estas palavras, e sinceramente cada vez que ouço isso, me traz certa indignação pela  alienação que estão vivendo.
Primeiro é impossível separar a vida cristã da teologia, uma é inerente a outra, por exemplo a própria afirmação de que vivem pelo “espírito santo” é uma premissa teologia, a teologia da trindade nunca foi unanimidade entre os cristão, e até hoje a aqueles que rejeitam, se não fosse a teologia dos pais da igreja, e o tratado teológico do credo de Nicéia, talvez hoje seriamos todos unicistas, e não acreditaríamos no Espírito Santo como uma pessoa da trindade.

Nesse mesmo conceito existem uma infinidade de outras coisas, que por meio da teologia, é que alcançamos uma boa fé, até mesmo Jesus, o que separa Jesus de um simples homem, da encarnação do próprio Deus, são os postulados teológicos, talvez se não fossem os primeiros teólogos, estaríamos seguindo João batista e não Jesus, se não fosse os teólogos, codificarem a Bíblia, e colocarem os quatro evangelhos, e as cartas do Novo Testamento, talvez teríamos uma fé gnóstica, totalmente diferente, que acreditaria entre outras coisas como por exemplo  que Maria Madalena teve um relacionamento  sexual com Jesus,  ou até mesmo como diz o livro de Judas, que a traição de Jesus, foi toda premeditada, pelo próprio messias, entre tantas outras histórias presentes nos evangelhos apócrifos.

Toda moral cristã é baseada de séculos de tradição religiosa, renegar isso, é a mesma coisa que uma pessoa não se dizer humana, além de inconcebível é ridícula aos olhos de quem vê; é impossível se dizer cristão e querer negar o cristianismo, por exemplo está muito corrente pessoas que se denominam cristão sem igreja, ora, é sim possível ser cristão e estar temporariamente sem igreja, mas é impossível ser cristão, sem influencia de alguma igreja, pois é a igreja e a teologia que trás a luz quem é Jesus e até mesmo Deus, não é possível dizer, “eu amo Jesus, mas não tenho igreja” você pode até não freqüentar uma igreja, mas sua consciência de Jesus, veio de uma, é impossível você freqüentar um culto a Krishina, e sair de lá acreditando em Jesus.

Voltando as pessoas que negam o status religioso, mas freqüenta igreja, estas pessoas caem em um discurso vicioso, pois, se dizem contra a religião, mas são extremamente religiosos, por exemplo, pergunte a um destes pastores, que dizem que não gostam da religião, se eles aceitam o aborto, ou questionarem se o dizimo é coisa da lei mosaica, ou se aceita o casamento entre pessoas do mesmo sexo, até mesmo sexo antes do casamento, o que pensam da teoria da evolução, ou até se consideram a possibilidade do Jesus histórico não ser o mesmo descrito nos evangelhos... Ou da teologia que praticamos não ser a de Cristo, mas sim a de Paulo... 

Não, estes mesmos que se dizem contra a religião, irão se mostrar extremamente religioso, e não soltaram a bíblia como o guia, “palavra de Deus”, ou seja, estarão sendo religiosos, portanto essa moda de negar a religião, é um produto da própria religiosidade moderna, negar-se religioso, o que considero uma resposta natural a uma sociedade plural, que está enfadada da religião.

Estes dias no tuíter, vi uma frase sendo repassada na minha pagina por outro usuário, a frase era de um grupo que se denomina, como “escolhi esperar” dizia isso, de não serem religiosos mas serem de Jesus, ora, eles existem através de uma premissa religiosa, sexo após casamento, algo da religião, o porque negar-se então religiosos? Essas pessoas concentram o seu conceito de religião nos extremistas mulçumanos, ou nos adversários religiosos, como por exemplo, mórmons ou testemunha de Jeová, ou os católicos culturais que veneram os santos, mas são religiosos o tanto quanto, mas vivem por negar.

O problema do religioso, não está em ele ser religioso, mas sim em ele fechar o leque somente para aquilo que ele crê desconsiderar a opinião, a religião, e a cultura do próximo, como já disse ouvir isso de um garoto ou garota adolescente é perfeitamente aceitável, mas o problema é que às vezes eles apenas repetem adultos, pessoas que estudaram e se preparam mas não deixaram a sua “religiosidade” hora nenhuma, isso sim é inaceitável.

Não ser religioso, é não crer em nenhuma premissa religiosa, eu sinceramente não me incomodo de ser chamado de religioso, e nem de falar que sou religioso, o que me incomoda, são as pessoas que partilham a mesma fé que eu, não  entenderem que o mundo muda, que a cultura muda, que  a Bíblia foi escrita em uma época, que nem tudo ali é literal, na verdade a única coisa que devia ser levada na literalidade, que o primeiro fator da religião deve ser o bom senso, e que logo após a amar a Deus, vem o segundo mandamento, que é amar ao próximo como a si mesmo, e isso sim, é um ponto literal na religião, mas é o que mas infelizmente é levado como relativo.

A Revolução do Mickey



No passado temos uma coletânea de revoltas que recheiam os livros de história, o povo queria mudança, iam pras ruas, lutavam e enfrentavam, não, meu texto não é saudosista pelo contrario tenho certa vertigem pelos “hipisters” do meu tempo que alimentam uma moda retrô, mas não abrem mão de sua vida confortável do século XXI.

Vanguarda na minha geração? Apenas nas roupas, para saírem bem nas fotos do Iphone que vão para as redes sociais através do instagram; Por falar em redes sociais, é pra falar delas que estou aqui, temos duas principais forças hoje, chamam-se twitter, e facebook, e alguns blogs, e a divindade maior, a toda poderosa GOOGLE, (velai por nós)  que sobrevivem ainda por causa dos dois primeiros, eles são responsáveis diretos pela mídia, que é consumida no mundo, digamos que hoje o radio, as revistas, e até mesmo a TV se tornaram reféns dessas mídias, tivemos algumas revoltas memoráveis no mundo Arabe que salvo  os donos do petrodólares, vivem em um mundo que ainda está preso ao século XX, através das redes sociais ano passado, os egípcios, líbios, tiveram poder de voz para o mundo, e transformações sociais para seus respectivos países e povos.

Mas isso não é o que acontece no universo ocidental, aqui, o que reina são as revoltas do mouse, grandes lideres revolucionários, que tem como armas, a internet, um computador, e uma coca-cola e salgadinhos na sua trincheira, vulgarmente chamada de mesa, eles tem uma coragem infinita aliada ao discurso inflamado de pseudo intelectualismo, as vezes de direita e as vezes de esquerda, na verdade tem para todos os gostos políticos.

Esses revolucionários hoje se vêem ameaçados, está prestes a entrar em vigor uma lei nos Estados Unidos, que protegem os direitos autorais, elas foram nomeadas de SOPA e PIPA, o resumo da opera é que ela ameaça a “liberdade de expressão” dos downloads e compartilhamento de produtos como música, livros, e filmes, e de propriedades intelectuais, como  teses cientificas livremente divulgadas pela nossa barsa*, a Wikipédia*.

Os impactos sobre essa lei são de tamanhos imensuráveis, afinal toda renda na internet gira em torno dos sites principais, como Facebook e Google, através de inserções midiáticas, adsense, entre outros, o fato é, o EUA vive uma crise, nada melhor que gerar impostos sobre o que está na internet, o governo americano, não está querendo tirar o direito de nenhum jovem mancebo de acessar vídeos inapropriados para sua idade, não, o desejo é apenas lucrar em uma terra, praticamente inabitada de encargos, e quem apóia essa idéia? Os grandes senhores feudais detentores e ditadores dos consumos intelectuais, as gravadoras, e editoras pelo mundo afora, que estão cada vez mais obsoletas, afinal podem assim voltar a colocar seus artistas no tronco a hora que quiserem.

- Mas então você jovem revolucionário, revoltado com os revoltados é a favor da lei?
Não claro que não, sou um dos que mais apóia o livre compartilhamento, de todo o conteúdo como forma de cultura livre, creio que querer a censura da cultura é o mesmo que negar água, ou ar a alguém.

O Problema é que existem mais prioridades no momento que parece que minha geração se esqueceu, por exemplo: na minha cidade, a saber, Cuiabá, a tarifa do transporte publico, está a 2,70, para uma cidade com menos de um milhão de habitantes isso é relativamente alto, assim em minha opinião sabe, o IPTU subiu mais de 70% e os encargos do DETRAN mais de 100%, sim temos uma boa desculpa pra isso, a copa do mundo vem ai, e tudo tem que sair das costas de alguém... Mas diz ai, o que você meu caro leitor acha que os revoltados do mundo do Mickey fizeram? Colocaram um assunto nos TT’s mundiais? – não! Hum, quebraram os ônibus jogando angry birds?  – não! Montagem no Paint para compartilhar no facebook? – um pouco. Rasgaram a constituição para fumar um baseado? – É provável que sim!

Nada, não fizeram absolutamente nada, a passagem continua a mesma, sem pelo uma explicação plausível pra ela, o IPTU, IPVA, cada vez maior, mas reclamar nada, reclamam mesmo é do preço do IPhone 4S, esse sim é importante, a gasolina está a uns 6 meses a quase 3 reais, mas isso não importa, o que eles não querem é pagar 17 reais em um CD Original, nem alugar um filme por 2,50 em uma locadora, DVD só se for 4 por 10, e ainda um sorriso banguela com a boca queimada de craque do vendedor.

Existem várias coisas realmente importantes e emergenciais, sendo negligenciadas, um mundo,  precisando de ações diretas, e jovens destemidos, que coloquem sua vida em risco por uma mudança, uma causa, um ideal, mas acho que ninguém está muito preocupado com isso, nem mesmo a Luiza que voltou do Canadá.


*Digitei o texto no World 2010, ele não reconheceu a palavra “BARSA” mas reconheceu a palavra, Wikipédia. Só pra constar.

George  Huxcley, é um pseudo-intelectual de 22 anos, que no horário de trabalho faz um free-lance de revolucionário do mouse. 

O trovador, o tempo e a Solitude.


Caminho longe, queimando a pele.
Vejam lá no horizonte, o sol se vai,
Carregando todo o ano com ele,
Com toda sua luz, do tempo é pai.

Minhas mãos, rachadas e com suor,
Arde, enquanto cerro os punhos.
No rosto o olhar, de quem espera o pior.
E lá se vai com o sol, também os sonhos.

O Sol maior de todos, mas é só.
Encontra-se com a lua, mas sempre parte.
As estrelas sem brilho perto, são apenas pó.
O Preço que se paga para iluminar a vida arte.

Volto meu olhar para o caminho,
Afinal, amanhã o sol voltará.
Com o tempo, e com o destino,
Com ele um novo sonho nascerá.

@georgehuxcley